Álex Porto, Games

Os 5 melhores jogos de 2013.

 Estou de volta com mais uma lista, e provavelmente ninguém vai ler essa até o fim, mas como gosto muito de escrever sobre meus jogos favoritos, aqui estão os melhores games de 2013. Infelizmente, não pude jogar jogos como Assassin’s Creed IV: Black Flag, Batman Arkham Origins, Super Mario 3D World, Brothers: A Tale of Two Sons, Legend of Zelda: A Link Between Two Worlds, jogos que tinham chances de entrar na lista. Mas de qualquer forma, aqui estão os melhores games de 2013:

Menção Honrosa: Gone Home (PC)

Um jogo indie que quase ninguém viu chegando, mas que quando lançou, ganhou grande atenção na mídia. Com um imenso foco na história e personagens, alguns podem até dizer que Gone Home não é nem mesmo um jogo, por não trazer inimigos para matar, etc. Mas discordo, o clima do desconhecido traz muita vontade ao jogador para explorar a casa, que é quase que totalmente interativa. Tratando de temas fortes como amizade, religião, família, esse foi um dos jogos que mais me afetou em 2013, mas que não acabou entrando na lista. Para quem não é muito de jogos, essa é uma boa pedida, principalmente para quem quer descobrir uma boa história.

5 – Tomb Raider (Xbox 360, PS3, PC)

http://alvanista.com/uploads/game/xbox-360/tomb-raider/medium_cover.png

 As expectativas estavam altas para o grande retorno de Lara Croft nos jogos, e ela não decepcionou. Em sua primeira aventura, vemos Lara aos poucos se tornar na forte mulher que já conheciamos anteriormente, sendo a evolução dela como personagem um dos melhores pontos do jogo. O mapa aberto cheio de tumbas para explorar, ótima jogabilidade em todos aspectos, uma história clichê mas com bom desenvolvimento, e um dos jogos mais divertidos do ano. Obrigatório.

4 – Bioshock: Infinite (Xbox 360, PS3, PC)

http://alvanista.com/uploads/game/pc/bioshock-infinite/medium_cover.png

 Após Bioshock e Bioshock 2, a franquia precisava de algo diferente, e foi exatamente isso que Ken Levine trouxe, sendo na minha opinião, o melhor dos três. O jogador controla Booker DeWitt, que recebe a missão de resgatar Elizabeth, em uma cidade flutuante chamada Columbia. Tudo bem que até aqui isso não parece grande coisa, mas Bioshock Infinite tem uma das melhores histórias que eu já vi nos video games, usando viagem no tempo e realidades paralelas. Também trata de temas como racismo, patriotismo americano, civilizações utópicas, etc. E com um dos finais mais surpreendentes que já vi, em qualquer mídia.

3 – Grand Theft Auto V (Xbox 360, PS3)

http://alvanista.com/uploads/game/ps3/grand-theft-auto-v/medium_cover.png

Claro que não poderia faltar o jogo mais falado e vendido de 2013. Quebrando vários recordes de venda, conseguindo fazer 1 bilhão de dólares em apenas três dias, GTA V também foi o melhor da franquia. Com o maior mapa de todos os outros anteriores, e ainda mais atividades para se fazer, você passará facilmente de 100 horas de jogo. E agora com três protagonistas, Michael, Trevor e Franklin, o jogo está mais variado do que nunca. Com uma ótima e hilária história, esse é provavelmente o jogo mais divertido da geração Xbox 360 e PS3.

2 – Beyond: Two Souls (PS3)

http://alvanista.com/uploads/game/ps3/beyond-two-souls/medium_cover.png

Para quem tem um certo conhecimento da indústria atual dos jogos, pode ficar surpreendido em ver Beyond tão alto na lista, pois ele não teve uma grande aceitação de público e crítica, nem teve vendas muito satisfatórias. Mas Beyond: Two Souls foi um jogo que me afetou de verdade, ficando atrás apenas do jogo em primeiro lugar dessa mesma lista. No jogo, acompanhamos a triste vida de Jodie Holmes, de criança à adulta. Desde quando ela se lembra ela está ligada à uma entidade chamada Aiden, e o que ele é exatamente é desconhecido. Trata de temas como a morte, a vida pós a morte, e solidão.

1 – The Last Of Us (PS3)

http://alvanista.com/uploads/game/ps3/the-last-of-us/medium_cover.png

O primeiro lugar não poderia ter sido de outro jogo. Quando o joguei em Junho, já sabia que aquele seria o grande destaque de 2013, simplesmente pelo fato que ele me fez chorar, nos primeiros 15 minutos dentro do jogo. Para um game fazer isso comigo é raro, na verdade, isso nunca aconteceu, com nenhum jogo/filme. Foi nesse nível que The Last of Us me afetou. E nas suas próximas 16 horas de duração, o ritmo não cai, nunca. É um constante soco no estômago, mostrando situações terríveis extremamente realistas, no qual o ser humanos faria de tudo para sobreviver, e tudo mesmo. O clima de tensão é quase paralisante. Ninguém está a salvo nesse mundo pós apocalíptico, nem mesmo os protagonistas, Joel e Ellie. A evolução do relacionamento deles durante o jogo é incrível, de pessoas que não se aguentam à pai e filha. Não é só o melhor jogo de 2013, é também o melhor jogos do PS3, e com certeza está entre os melhores que já joguei na minha vida inteira. The Last of Us é um dos jogos mais bem feitos da história, em todos aspectos. Traz temas como perda, esquecer o passado, sobrevivência, decadência da sociedade, e principalmente, pessoas, nas suas piores e melhores formas.

Fotos: Reprodução

Álex Porto, Games

Review: The Last of Us – Não só um jogo, uma experiência

 http://www.maraporto.com.br/wp-content/uploads/2013/06/the-last-of-us-20111210083036724-3572309.jpg
Olá.
Eu sinceramente não sei nem por onde começar. Basicamente, esse é um dos melhores jogos que eu já joguei na minha vida inteira. Tirando alguns bugs gráficos aqui e ali, o jogo pode ser considerado perfeito. A história, apesar de simples, é fantástica. Joel e Ellie são os protagonistas, e eles encontram outras pessoas no caminho, mas é só isso que eu digo da história. A jornada desses dois personagens é absolutamente brutal, e em vários momentos eu fiquei chocado e literalmente de boca aberta, coisas que quase nunca acontecem comigo jogando um jogo. 
http://cdn.leviathyn.com/wp-content/uploads/2013/06/the-last-of-us2.png
Sim, esse é o incrível gráfico do jogo
Os gráficos, como já é marca registrada da produtora, são impecáveis. Cada cenário conta uma história através de colecionáveis que são bem divertidos de se coletar. Mesmo linear, há muito para explorar. A trilha sonora é lenta, mas muito poderosa, e ela consegue emocionar logo no início do game. As dublagens, em especial de Troy Baker (Joel) e Ashley Johnson (Ellie), são simplesmente magníficas. Os sons dentro do jogo são espetaculares, mantém a atmosfera em constante tensão. Eu joguei na dificuldade Hard na primeira jogatina, e foi bem desafiador. Os inimigos humanos são espertos e estratégicos, já os infectados são rápidos e compulsivos. A jogabilidade é variada e muito divertida, principalmente em explorar os cenários para achar armas, balas, kits de sobrevivência, etc. 

Mas é com a ação que a coisa complica. Eu nunca joguei um jogo tão tenso como The Last of Us. Seja os inimigos humanos ou infectados, o clima de tensão é matador. Mesmo com todas essas qualidades, nada chega perto do desenvolvimento de personagens, que é o maior foco do jogo. Joel e Ellie são um dos melhores protagonistas dos vídeo games, e logo quando os encontramos entendemos suas motivações, e nos importamos imensamente com eles. Eu nem tinha ideia do que esse jogo faria comigo, aliás, eu não estava preparado. Nos primeiros 20 minutos de jogo, eu já estava chorando! Isso nunca aconteceu comigo antes, isso só mostra que os personagens são muito bem escritos. Acabei chorando mais duas vezes durante a campanha, que por sinal, tem um ritmo perfeito.

http://www.maraporto.com.br/wp-content/uploads/2013/06/joel-ellie-looking-upjpg-756b30.jpg
O relacionamento de Joel e Ellie é facilmente a melhor parte do jogo

The Last of Us é emocionante, brutal, chocante, assustadoramente realista, e totalmente imprevisível. O título questiona muitas coisas interessantes, como: a humanidade merece ser salva (?), lealdade, o quão longe você vai para sobreviver e muitas outras. A Naughty Dog mais uma vez mostra que é sim umas das melhores produtoras da indústria. É um jogo simplesmente obrigatório de se ter, e é uma experiência que eu dificilmente irei esquecer. Se você tiver um PS3, compre, seja para o seu filho (maior de 18 anos, por favor, esse jogo com certeza não é para crianças) /namorado/marido/irmão ou pra você mesmo que está lendo, duvido muito que se arrependa.


Nota: 10/10

Fotos: Ign.com

 

Página 1 de 212